sábado, 14 de abril de 2018

Todas as curas precisam de compaixão











 Áudio





Se você está doente e quer se curar, tenha compaixão por si mesmo.
Compreenda, no entanto, que a compaixão é diferente da autopiedade.
Quando você tem dó de si mesmo, dó de tudo o que você está vivendo, junto com esse dó pode nascer em
você o destrutivo sentimento da revolta.
E de nada vai adiantar você ficar com dó de você e revoltado com os problemas, pessoas e situações.
Isso não aliviará a sua carga, isso não tirará a sua dor.
Isso não permitirá que você vire a página.

É muito sutil a percepção da compaixão e da autopiedade.
A autopiedade consome você, diminui você. Porque você se vê um coitado impotente, sofrendo as suas
questões, sejam físicas, emocionais, cármicas ou problemas normais do mundo.
Você não é um coitado. Você, o tempo todo, está sendo convidado a evoluir e fazer escolhas, sacrifícios e
assumir posicionamento.
Assim é a evolução da alma.

Quando você se conecta ao seu Cristo interior, ao seu estado de budhri, de consciência iluminada, você é
convidado a ter compaixão por si mesmo.
O que significa reconhecer seus erros, reconhecer as suas falhas, olhar as lições que não foram feitas, os
carmas que não foram cumpridos e passo por passo transformar e assumir novamente o seu poder.
Aquele que tem grandes erros e que olha os seus grandes erros é o que mais é convidado a ganhar impulso
e seguir em frente.
Os erros da caminhada são todos aceitos e podem ser transformados.
A sua mente deve ser o agente da sua evolução.

Compaixão é uma energia profunda associada à chama violeta, à qual eu sirvo; e compaixão é um ato de
profundo amor.
Quando você olha para você, enxerga os seus erros e faz novas escolhas sem se penitenciar, como se você
dissesse a si mesmo: “Errei, sinto muito, errei. Me perdoe, errei. Obrigado pela chance de me redimir. Te
amo.”
Esse é um exercício de profunda compaixão: olhar para você!
E é esse o nosso convite a vocês, meus amados: olhem para si mesmos, reconheçam os seus erros.
E mesmo que você tenha lidado, ou ainda lide, com uma pessoa muito difícil - seu pai, sua mãe, seu filho
-, ou uma condição muito difícil - afetiva, profissional, material, seja o que for -, olhe para si mesmo
lidando com essa questão com compaixão.
O que significa fazer as pazes e se redimir.
“Sinto muito por isso. Me perdoe. Ofereço meu amor para a cura. Obrigado pela chance de limpar,
transmutar e fazer diferente.”

A dor pode ser um incrível Renascimento.
Solte-se desse estado de dor, solte-se desse estado de drama!
Nesse momento, nós estamos trabalhando em vocês, operando em seus corações poderosas curas. Aqui
nós oferecemos a vocês o medicamento espiritual e esse medicamento nosso atua no corpo emocional,
mental e físico.
No plano sutil estamos atuando em cada um.
Não existe tempo, distância ou espaço onde o nosso amor não possa penetrar.
Fazemos parte do Todo, somos o Todo.
Ativem em vocês a consciência compassiva, esse estado de compaixão.

Eu sou Kuan Yin e do meu templo, revestida pela luz violeta, branca e dourada, atuo em vocês nesse
momento no chakra da coroa, na mente, criando novas conexões, facilitando caminhos de cura.
Se vocês querem receber curas espirituais, abram o seu próprio pensamento.
Permitam que a Mente Divina atue na sua mente.
Sempre diga a Deus: “Pai, atua na minha mente, eu permito as curas espirituais em mim.”
Sinta isso, pense isso: “Eu recebo as curas espirituais em mim.”

Fiquem alertas à condição de vitimismo, porque apenas o que ela faz é prender vocês à dor e aos erros,
enquanto a compaixão tira os limites e liberta.

Nesse momento, estamos colocando no centro dessa sala círculos de luz, expandindo a energia deste
grupo para outras pessoas, outros lugares, curando, libertando e expandindo.
Na luz da compaixão, na vibração de Kuan Yin, a Grande Mãe do Oriente. 




__________________________________________________________________________
Data: 12/04/2018
Canal: Maria Silvia P. Orlovas
Colaboração: Luana, Francisca Motta  Maire Loss 


__________________________________________________________________________


Clique aqui e assista a aula especial gratuita.







sábado, 7 de abril de 2018

Acolha o seu silêncio











 Áudio





Todos nós precisamos de silêncio. O silêncio traz incríveis curas.

Você ficar o tempo todo falando, com as pessoas ou consigo mesmo, quando o silêncio está na palavra, 
mas não está na mente, não é silêncio. Quando a sua mente está o tempo inteiro pensando, sofrendo, julgando, pedindo, reclamando ou apenas observando, você não está em silêncio.

Então, em algumas horas de seu dia, momentos, ou que sejam pequenos segundos, se observe e observe se você está em silêncio. Muitas vezes, é mais fácil você observar que está falando demais mentalmente. Pode ser que você seja uma pessoa sozinha, que viva sozinha, mas isso não impede você de mentalmente falar o tempo inteiro.

No amadurecimento espiritual, no seu crescimento, para que você cresça saudável dentro da sua espiritualidade, você precisa cultivar o silêncio. E esse silêncio também é necessário nos seus relacionamentos, com amigos, irmãos, parceiro, parceira. É importante observar o silêncio. Nem tudo deve ser falado e nem tudo aquilo que você ouve deve ser acolhido em você.

O silêncio traz incríveis curas. Existe o momento de você se expressar, mas para que sua palavra tenha valor, real valor, você deverá ter o seu tempo de silêncio. Assim é com a música. Para que uma nota tenha o seu verdadeiro sentido, muitas vezes, ela é precedida de uma pausa igual ou maior. Não se confundam com as mensagens do mundo, porque a mensagem mais importante é a que está no seu coração. Não ouça os seus gritos. Quando você estiver nervoso, tenso, deixe passar a sua tensão. Nessas horas, às vezes, as pessoas falam, falam, falam, falam, e está tudo certo, se você fizer isso, mas não dê ouvidos a si mesmo, não acolham qualquer pensamento, qualquer ideia, qualquer palavra como importante, porque não é.

Você só saberá se algo que está em você é real, é verdadeiro, é importante, quando você souber guardar o seu próprio silêncio. O silêncio ensina a valorização dos fatos, dos casos e das pessoas. O silêncio permite que você pratique e cultive a auto-observação. Você só sabe quem você realmente é, se você parar de verdade e se escutar e, através desse silêncio e desse tempo de pausa, você estará fortalecido para observar e fazer escolhas. Escolhas sábias não são feitas no tumulto. É preciso cultivar essa paz interior.

Nesse momento, estamos atuando em vocês, em cada um de vocês, atuando na sua mente. Se há alguém que está com dor e está precisando se deitar, aproveite esse momento, deite-se, onde você está, mantendo o seu silêncio.

E nesse momento, nós estamos atuando no mental de cada um, ajudando você a aliviar os seus pensamentos em crise. 
Respire e solte o ar. 
Se você está crítico demais, achando as coisas ruins, reclamando, você está afastado desse ponto em branco que permite a sua cura. Respire e solte e volte para o ponto em branco. Se você está preocupado em ajudar alguém, ou fazer alguma coisa, você está afastado do seu silêncio, você não precisa agir assim. Acalme o coração e acesse esse ponto em branco. Se você está preocupado com as suas coisas, com o amanhã, com o seu trabalho, acalme sua mente e seu coração e focalize esse ponto em branco dissolvendo os medos de seu cérebro e liberando pensamentos antigos e aprisionadores, permitindo, assim, através desse ponto em branco, que novas energias, ideias e atitudes venham para você.

Mentalmente diga: “Eu me abro. Eu permito novas conexões. Eu permito novas ideias. Eu permito curas em mim. Eu permito intuições. Eu permito a paz na minha mente, no meu corpo e na minha vida.” Respire e acolha. Esta é a cura do silêncio. Esta é a cura da Chama Branca. Esta é a cura na sintonia do grande Mestre Seraphis Bey. Esta é a cura da libertação das suas amarras mentais e emocionais, que são alimentadas pelo excesso de pensamentos e palavras.

Mantenham-se em silêncio, apenas recebendo as emanações da nossa energia.

Eu Sou Claire. Trabalho em sintonia ao amado mestre Seraphis Bey, e estamos saudando um novo momento planetário de libertações, energias novas vindo para o planeta, e quanto mais vocês estiverem abertos a essa vibração, maiores serão as curas e as transformações. Cada um no seu processo, cada um no seu dia, cada um do seu momento. O silêncio é algo intransferível. O silêncio e seu, algo que você escolhe cultivar e ser.
Recebam as nossas bênçãos, a nossa luz. Sigam em paz. 



__________________________________________________________________________
Data: 05/04/2018
Canal: Maria Silvia P. Orlovas
Colaboração: Luana e Maire Loss 


__________________________________________________________________________


Clique aqui e assista a aula especial gratuita.